Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

A Datilógrafa do Rés do Chão

A Datilógrafa do Rés do Chão

10
Abr21

A missão não é leve, mas é simples

Filipa Pinto

 

banco carro.jpg

A missão não é leve: cada homem é responsável pelo mundo inteiro.

- Clarice Lispector

 

Estaciono o carro na beira do passeio junto ao café e carrego no botão preto perto da manete das mudanças para abrir o vidro elétrico. O vento gelado de uma tarde típica de abril abraça-me do outro lado e inclino o rosto para frente, fechando os olhos num gesto de apreciação. Escuto um burburinho ainda de olhos fechados e, com a curiosidade genuína de alguém perspicaz, abro as pálpebras deparando-me com quatro ciclistas a conversar junto à esplanada de caras completamente despidas. 

Um grito monstruoso ameaça brotar de dentro de mim quando noto, desviando o olhar ligeiramente para o lado, quatro pessoas devidamente afastadas umas das outras a comer um lanche tardio, sentadas nas cadeiras brancas ao lado dos anormais de rodas. 

Uma senhora de cabelo grisalho de máscara posta, retirando a sua meia de leite de cima da mesa de plástico e pondo-se de pé, decide lançar-lhes um olhar de incredulidade espelhando o meu. O homem mais velho de barba bem aparada e sorriso jocoso, com a bicicleta entre as pernas preparando-se para pedalar, retribui-lhe o olhar e solta uma gargalhada. Um impulso feroz domina-me o corpo e ordeno às minhas pernas moverem-se em direção ao local, mas sou interrompida por uma onda de impropérios soltos da boca da mulher que outrora estava sentada pacificamente e em segurança a apreciar a sua refeição.

Mantenho-me dentro do veículo e vejo os homens a afastarem-se impunes.

Deixo-me levar numa corrente de pensamentos e lembro-me de Clarice Lispector. A missão pode não ser leve, mas é simples e, neste momento, mais do que em qualquer outro, o dever de olharmos uns pelos outros para vencermos o inimigo deveria chegar. E mais uma vez, olhando brevemente para o horizonte e deitando-me para trás no banco, constatei de coração pesado e lágrimas a encherem-me os olhos, que não chegou.

 

Sobre mim

foto do autor

Pesquisar

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Na mesa de cabeceira

No ecrã

Comentários recentes

Arquivo

    1. 2021
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D